Quem me lê

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Tripudiar By Cristina Almeida


Se sabes das minhas dores,
porque tripudias sobre mim?
No meu coração onde outrora
podia-se ver o colorido das flores...
Hoje reina um deserto,
solo empobrecido, onde sementes
de amor não brotam!
Tento me reerguer, me dedico
a coisas pra fazer, 
tentando esquecer...
E sempre que podes, você vem
e não perde a chance de tripudiar,
a quem um dia ousou te amar...
Mostra-se todo o tempo cruel
em tuas palavras,
a delicadeza, a gentileza,
cedem lugar ao fel...
Tripudias sem nenhum pudor,
aquela que um dia
só quis te dar amor!
Mas os dias passam...
E um ditado antigo, mas sábio
se faz valer neste momento:
" Nada como um dia após o outro"
E o que me fazes agora,
terás um dia em dobro!

By

Cristina Almeida

2 comentários:

Paulo Tamburro disse...

CRISTINA,

isto certamente para você não fará nenhum sentido, mas nunca andei procurando a lógica das palvras que escrevo, sempre que elas servem para experessar uma emoção por mim sentida em determinado momento.

É por esta razão CRISTINA, que lhe digo que uso o perfume LANCASTER, conhece?

Se não conhece deveria(rs).

Um abração carioca.

Cristina Almeida disse...

Oi Paulo,
acho que conheço sim esse perfume,tem um cheiro forte, bem marcante!
As palavras que usamos as vezes não parecem ter lógica alguma para o leitor, senão pra nós mesmos que escrevemos, pelo momento vivido, pelas nossas experiências de vida...
Obrigada por comentar,viu!?